fbpx
facebook O propósito e a nossa infância – parte 1twitter O propósito e a nossa infância – parte 1google_plus O propósito e a nossa infância – parte 1linkedin O propósito e a nossa infância – parte 1mail O propósito e a nossa infância – parte 1

O hinduísmo reconhece que o que te dava prazer em sua infância é o mais próximo que você pode resgatar para entender a sua essência e, assim, o seu propósito, porque, em alguma fase da vida, nós começamos a deixar que a vontade e as regras dos outros pautem os nossos dons e logo nos distanciamos deles.

Resgatar os gostos de infância não te traz o seu propósito explicitamente. Eu não me tornei uma grande dançarina. Mas, lembrar da liberdade que eu sentia dançando me fez resgatar a sensação de estar inteiro e de ser eu mesma. Então a dança me permite lembrar quem eu sou e entender quais são os meus dons e o meu propósito no mundo.

Se pensarmos bem, as nossas defesas da realidade e as nossas reações emocionais mais viscerais estão relacionadas as nossas proteções da infância e do nosso distanciamento de nós mesmos. Então, resgatar algumas partes dessa infância é essencial para descobrirmos o nosso propósito e nos reconectarmos com a nossa essência.

Quando me lembro da minha primeira infância (até os meus 6 anos de idade) algumas memórias positivas e negativas invadem os meus pensamentos.  Algumas delas não sei se são memórias reais ou induzidas por fotos que tenho dessa época. Mas, muitas delas, têm gosto de infância e de alegria.

 Uma das que me traz imensa alegria é a que estou dançando na rua com outras duas amigas. Eu passava o dia dançando se me deixassem (e falando sozinha também). Mas, essa lembrança de dançar na calçada da casa do vizinho, livre, cantando músicas da Xuxa e do Trem da Alegria….  Ah!! essa lembrança para mim tem gosto de liberdade.

Franciele Maftum

Propósito – Atividade 01

A nossa primeira atividade será relacionada às lembranças do passado. Calma, não iremos falar do seu pai e da sua mãe (embora isso seja muito importante para que você entenda os seus processos internos e alavancas), mas vamos falar das suas lembranças de quando era pequeno.

É possível que você precise conversar com seus pais, avós ou irmãos para se lembrar de algumas coisas e obter algumas informações.

Vamos falar sobre a sua primeira infância, dos 0 aos 6 anos. Sabemos que nossa memória somente lembra-se dos acontecimentos a partir dos três anos de idade. Antes disso, temos memórias afetivas sobre as coisas. Mesmo assim, essas memórias afetivas têm um impacto em quem somos e nas escolhas que fazemos para nós mesmos.

Até os seus 6 ou 7 anos de idade, quais são as melhores lembranças que você tem? Pense um pouco nessas lembranças tentando revivê-las.

Lembrou? Descreva quais são essas lembranças, o que aconteceu e quem estava com você. O que você estava fazendo?

Agora descreva o que você sente ao relembrá-las? Vou te ajudar com alguns sentimentos possíveis:

Alegria;

Satisfação;

Plenitude;

Paz.

Não conseguiu lembrar? Pergunte para seus familiares, busque fotos, vídeos e coisas que possam te ajudar a resgatar essa memória.

Mesmo assim não conseguiu? Então pode resgatar uma memória, após esse período, e realizar o mesmo exercício.

Muito bem. Guarde esse sentimento com você. E a partir de agora, gostaria de te sugerir um passo importante desse processo: todos os dias, por alguns instantes (podem até ser segundos) lembre-se dessa mesma cena e procure sentir essas coisas novamente. Será como um mantra para te lembrar de coisas boas.

Escolha um momento para isso, pode ser na sua ida ao trabalho, enquanto escova os dentes ou toma banho. Mas, procure fazer sempre na mesma situação, assim ficará mais fácil de você lembrar de fazer isso todos os dias.

Você gostaria de ter mais dicas como essa? Então acompanhe os nossos canais, estamos sempre falando sobre o tema.

Comentários