fbpx
facebook 4 Passos para a prática da empatiatwitter 4 Passos para a prática da empatiagoogle_plus 4 Passos para a prática da empatialinkedin 4 Passos para a prática da empatiamail 4 Passos para a prática da empatia

Porque desenvolver empatia pode ajudar a sua gestão?

Se um gestor hoje me perguntasse o que ele deveria desenvolver para ter uma gestão cada vez melhor, eu diria a ele: empatia meu caro, desenvolva a empatia. Mas estou falando da empatia profunda e real e não das frases de efeito que aprendemos na jornada da vida ou em livros de liderança. Estou falando da empatia que conecta e que gera crescimento e conforto.

A empatia tem sido assunto tópico nos últimos anos. De repente o mundo acordou para uma habilidade básica que está em falta nos relacionamentos. A verdade é que não aprendemos na escola, na universidade e na organização a sermos empáticos. E agora o mundo nos pede que pratiquemos a empatia, algo que não aprendemos e que insistimos em achar que temos em abundância. A grande verdade é que não temos, mas podemos começar a praticar!

Para falar sobre esse assunto, tem algo muito simples e prático que podemos utilizar.

A pesquisadora e socióloga Brene Brown descreve a prática da empatia da seguinte maneira:

“Empatia é sentir com as pessoas, a empatia atrai conexão, a simpatia leva à desconexão… a empatia traz 4 qualidades de quem a pratica:

  • Tomada de perspectiva: a habilidade de tomar ou reconhecer a perspectiva do outro como verdadeira.
  • Ausência de julgamento, difícil quando adoramos julgar os outros.
  • Reconhecer a emoção em outra pessoa
  • Comunicar essas emoções

A empatia é como esse espaço secreto, como se alguém estivesse em um buraco profundo e gritasse de lá: está escuro, estou preso, não sei para onde ir, estou perdido! E nós olhamos, descemos e dizemos: Calma, eu sei como é estar aqui e você não está sozinho. ”

A empatia não resolve os problemas do outro e tão pouco sugere uma ação. Ela conecta e dá força para que o outro consiga se sentir autônomo o suficiente para agir por si mesmo, sentindo-se suportado, compreendido e amado.

Para sermos empáticos há uma exigência: para que eu sinta a sua dor, preciso entrar em contato com a minha própria dor. Então, quanto melhor desejo ser para o outro, mais verdadeiro preciso ser para mim mesmo, reconhecendo em mim, minhas dores e alegrias, medos e coragem.

O vídeo sobre essa explicação você encontra no link abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=Ay846oJ8tfY

A ChangeQuest realiza esse trabalho com indivíduos e organizações, saiba mais:

http://www.changequest.com.br/desenvolvimento-de-liderancas/

Comentários