Método Grow: o modelo que ajudará em reuniões decisivas

Método Grow: o modelo que ajudará em reuniões decisivas
Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail

No início de todo ano é comum que as empresas e organizações façam reuniões para verificar o que deu certo no passado e o que será preciso para manter o sucesso no futuro.

Essas reuniões, que mexem com a rotina de uma empresa e  necessita de uma solução compartilhada – como é o caso dos comitês, revisão de processos e avaliações – pode gerar grandes transtornos para uma equipe.

Para facilitar o acordo entre as pessoas que participam destas decisões, vamos apresentar para vocês o Modelo de Grow.

Grow é a junção das seguintes palavras:

Goals: objetivos

Reality: realidade

Options: alternativas

Will: vontade de agir

 

Mas o que significa cada uma dessas palavras e como esse modelo pode me ajudar?

O Modelo Grow é usado de forma cíclica, então seguindo a sequência do nome, “goal” significa classificar e acordar um resultado realista e motivador, “reality” sensibilização para o que está acontecendo neste momento, “options” simular as ideias e as escolhas procurando novas maneiras de executá-las e “will” significa verificar o comprometimento da equipe e as opções.

 

Para que consiga executar esse modelo de forma satisfatória, é preciso explorar algumas perguntas que auxiliam no feedback e na redefinição das possibilidades de ação.

Grow

  • O que está buscando?
  • Como é a situação atual?
  • Quais alternativas podem nos levar em direção ao objetivo?
  • O que será feito?

 

 

Aplicar esse modelo para a discussão de reuniões em busca de consenso requer uma adaptação e inclusão de etapas – é importante segui-las e manter o foco para que possam funcionar na resolução da questão.

 

  • O foco sempre será na execução dos passos baseado em um consenso. Os passos devem ser seguidos buscando a opinião de todos e o direcionamento deverá ser dado, somente em último caso ou quando o time solicita que isso seja feito.
  • Se você utilizar essa roda com o seu time de colaboradores, sugerimos que não direcione a ação, mostre a roda para o time e faça que os participantes construam as etapas juntos.
  • Será importante conduzir essa conversa de uma maneira que o julgamento e exposição não estejam presentes. A conversa deverá iniciar como uma forma de trabalharem juntos com os princípios da confiança para resultados: integridade, conexão, capacidade e benevolência.
  • Nesses momentos uma postura “de ator” não cabe; será necessário ser muito integro e honesto para chegar a uma construção compartilhada.

 

Esse modelo é muito utilizado em sessões de coaching, pois traz de forma completa questões que são necessárias para evitar o conflito e chegar à solução.

 

Caso tenha interesse em conhecer mais sobre essa ferramenta ou tenha ficado alguma dúvida, entre em contato conosco, nossa equipe está sempre pronta para lhe atender.

Comentários